BATEU AQUELA TRISTEZA?

Psicóloga Clínica e Organizacional


As expressões “estou triste” ou “estou deprimido” parecem tão comuns em nossos dias, mas pouco paramos para pensar no que nos leva a esses “estados de tristeza”. Mais ainda: algumas pessoas pensam tanto nela, que alimentam, eternamente, um sentimento que, usualmente, representaria e expressaria apenas uma fase passageira de sua vida.

Situações difíceis e estressantes exigem de nós uma capacidade de adaptação que nos permite voltar a alcançar um estado emocional normal. Pensar naquilo que é positivo é uma forma de superar os momentos de tristeza sem negá-los, mas, também, sem valorizar fortemente tal situação. Buscar atividades sociais, esportivas e de lazer também são formas externas de lidar com este sentimento.

Estar triste e sentir tristeza são condições psicológicas que fazem parte da vida humana, e não há por que temer vivenciar tal estado. Sentir dor pela perda, viver o luto, terminar um namoro, ter frustrações nas amizades  e experimentar que a vida não é feita só de alegrias é o conjunto dinâmico e equilibrado da vida. Porém, muitas vezes, desenvolvemos respostas emocionais negativas e, a partir delas, tudo se torna uma tristeza constante; ou mesmo criamos nossos filhos deixando-os “protegidos” de qualquer ameaça.

Depressão é muito mais do que uma tristeza, mas esta, se for cultivada e excessivamente valorizada, pode se tornar uma doença. Ficar triste faz parte da vida, não precisa de tratamento e nos permite experimentar o lado bom e o ruim da vida. Muitas pessoas evitam, a todo custo, o sofrimento ou mesmo evitam que as pessoas ao seu redor sofram. Com isto, apenas alimentam uma vida de conto de fadas. O tempo da tristeza é relativo e está bastante relacionado ao tipo de situação que vivemos.

Por outro lado, pense no seguinte: nosso tempo nos coloca um ritmo para que vivamos os processos da vida sem dor, sem sofrimento e com muita rapidez. Não admitir a armagura é um mecanismo de defesa, algo que nos protege, que faz com que evitemos as situações.

O que a tristeza tem para nos ensinar? Nem toda melancolia é depressão, nem tudo é curado com remédios. Encarar as situações negativas com serenidade, observando os fatos e as consequências é muito importante. Quando admitimos que somos parte de um problema, podemos rever nossas atitudes e crescer. Ao fazer o papel de vítima – que pode ser mais confortável e bastante cômodo – não assumimos nossas culpas e “terceirizamos” nossos os problemas. Sempre haverá um culpado, uma situação difícil ou coisa assim. Mas vale lembrar também o quanto algumas pessoas têm uma visão extremamente negativa de si, sem perceber nada de positivo no que fazem, olhando o mundo por um olhar altamente crítico, negativo; apenas valorizando as desolações.

A satisfação é feita de frustrações, de perdas e dores. Evitar o sofrimento é como “negar” uma parte importante da vida e experimentar apenas o imediato, a necessidade urgente de estar melhor, as alegrias de um mundo que cultiva o imediatismo e o prazer de uma vida fácil. Nesta reflexão, faço a você um novo convite: que possamos dar um significado às tristezas da vida sem fugir delas, mas saindo fortalecidos desta batalha, superando as dificuldades do momento, valorizando as experiências e retomando o ciclo normal de nossas vidas. Não há solução fácil, mágica ou imediata, mas é algo possível a partir da nossa iniciativa e nosso empenho, com uma forma diferente de encarar a vida.

* Tristeza e depressão fazem parte da nossa vida???!!!
Anúncios

20 responses to this post.

  1. Leila, adorei o seu comentário. Fico muito feliz por ter podido proporcionar isso a você. Você é um amor de pessoa.Obrigado pelo seu carinhobeijos

    Curtir

    Responder

  2. Manoel, Obrigada pela visita e comentário lá no Entrelinhas. Oportunidade boa tive de, ao querer retribuir a sensação boa de sua presença lá , ainda pude colher palavras boas aqui , em várias postagens . Palavras que se unem as minhas próprias reflexões .Ótimo isso,aproveitei duplamente , rs Obrigada e beijos

    Curtir

    Responder

  3. Tina, na minha opinião, seu comentário está corretíssimo. Muito bem separadas as duas coisas. Valeu!Um abraço

    Curtir

    Responder

  4. Bah, muito legal a sua opinião. A vida é geita dessas nuances.Kisu!

    Curtir

    Responder

  5. Janice, tem gosto para tudo, não é? Rs…rs.Beijos

    Curtir

    Responder

  6. Penso que tristeza sim, depressão não.Depressão é algo sério.Acho errado, fico fula da vida com a banalização de doenças, problemas, como a depressão.As pessoas falam que tal coisa deprime, que alguém esquecido ta com Alzheimer, como se falassem de algo banal.Falam que estão na larica, na bruxa, quando estão com fome ou desejando algo, que falta de senso!Bem como falam que odeiam, quando só não gostam, falam que são viciados em tal coisa, acho tão forte essa palavra.Tristeza e alegria fazem parte da vida de td mundo, como diz o dito popular, cada um no seu canto sofre seu tanto, mas depressão só quem tem ou teve alguém próximo que passou por isso, sabe a dimensão.

    Curtir

    Responder

  7. Tem gente que fica bem quando está muito triste.Beijos!!

    Curtir

    Responder

  8. Fazem sim, não tem como sabermos o que é o certo se não sabemos o que é o errado, assim como não podemos ser felizes se não soubermos o oposto. A vida é feita dessas nuances porque somos capazes de julgar o que é bom e o que não é para nós.Kisu!

    Curtir

    Responder

  9. Audrey, que saudades suas. Passei lá pelo seu blog e "seu BOTÃOZINHO" já com 15 anos… Enfim, estamos nós aqui, não é?Gostei muito do seu comentário e de ver você por aqui. Faça uma reflexão do texto, mas volte outras vezes por aqui, grande amiga.Beijo com carinho

    Curtir

    Responder

  10. Debbie, é isso mesmo. Concordo plenamente. Temos que ir tentando fazer daqui um pedacinho do céu. Passo a passo até chegar lá.Beijo no seu coração

    Curtir

    Responder

  11. Ana Bailune, faz parte mesmo. O nosso convívio com ela ajuda na superação e a vida fica mais fácil mesmo. Muito legal o seu comentário.Um abraçãoManoel

    Curtir

    Responder

  12. De todas as sensações, de todas as emoções (boas ou ruins) devemos tirar um ensinamento!Gostei muito do texto! Leva a reflexão!

    Curtir

    Responder

  13. A tristeza é uma consequencia do pecado na nossa vida, e sim! Todos nos sentimos! Jesus é o unico que pode dar uma felicidade veradeira e completa, o mundo oferece conforto apenas temporário….

    Curtir

    Responder

  14. Parabéns pela postagem! Acho que a tristeza faz parte da vida, e se a entendermos e aceitarmos, aprendendo a superá-la, a vida fica mais fácil.

    Curtir

    Responder

  15. Adriana, gostei da sua ponderação sobre a postagem. Bastante equilibrado o seu comentário. Gostei muito.Beijos

    Curtir

    Responder

  16. Tristeza, acho que temos sim que ter momentos tristes. Até mesmo para assimilar o que está acontecendo. A sociedade hoje em dia nos cobra tanto. Temos que estar sempre felizes, alegres, de bem com a vida. Mas nem sempre é possivel. Falo ficar triste…Não depressão. Pois depressão é uma doença que tem que ser tratada com remédios. Tristeza não, é so um momento. Por exemplo, com o fato de Santa Maria a tristeza caiu em todo o Brasil. E ficamos triste por tantos pais que sofreram. BeijosAdriana

    Curtir

    Responder

  17. Carla Renata, certíssimo! E quase sempre nós mesmos protagonizamos esses momentos.E a tal da velha frase é uma realidade. É isso mesmo que ocorre.bjossss

    Curtir

    Responder

  18. Acho que não existe felicidade nem tristeza.. e sim momentos felizes e momentos tristes…é akela velha frase "não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe".bjs

    Curtir

    Responder

  19. Ana Paula, concordo com você. Seu comentário é muito interessante porque esclarece a naturalidade da tristeza e a artificialidade da depressão. Gostei da dose certa e pequena! Valeu, Ana!Beijo

    Curtir

    Responder

  20. Manoel, eu sei que você não gosta de ver ninguém triste, mas acredito que a tristeza faça parte sim da nossa vida. A depressão, não. Ela deve ser tratada, não deveria constar da vida.A tristeza é necessária para elaborarmos perdas, mudanças. Mas tem que ser como dizem, "visitinha de médico" tem que ir embora rapidinho e ceder lugar ao sorriso.Seu post vem num momento muito oportuno. Num momento em que parece haver um culto à felicidade, sem espaço para a tristeza. A vida virtual é linda, cheia de imagens, dizeres, viagens fantásticas e nos sentimos culpados por nos sentirmos triste, afinal todos parecem sempre felizes.Dose certa e pequena: tristeza lava os vidros da alma para que possamos enxergar comprido… ( inspirado em Tina ).Beijo

    Curtir

    Responder

MUITO BOM COMPARTILHAR COM VOCÊ !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Antes de Adormecer

Sobre amor e outras coisas

PANELA EUROPÉIA

O mundo numa panela só

Um Palco de Teatro

Poesias, Textos, Frases e Reflxões sobre o amor e a vida.

Sopa de Letras

Literatura, Cinema, Música, Educação e outros temas.

ESTRANHAMENTE

#poesia #crônica #fotografia

versaopaulo

cultura e história da cidade

Vida Legal

Porque a vida é muito mais interessante que a ficção.

imperfeitoparaiso

Aleatoriedades

Blog do Óbvio

Assuntos Diversos e Diversos Assuntos

Poesias e Cia - Ana de Lourdes Teixeira

Sem pretensões... O único desejo é compartilhar com as pessoas o que escrevo.

A DOSE DO DIA

O dia mais bem humorado da semana ;)

Realize Criatividade

por Patrícia de Azevedo

frascodememorias.wordpress.com/

“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Blog Caderno da Lua

#ApoioAutoresNacionais

Meio pão e um livro

Eu, se tivesse fome e estivesse à míngua na rua, não pediria um pão; pediria meio pão e um livro. (García Lorca)

O Outro Lado

Porque o melhor lado é o dentro

Abstract Art by Sharon Cummings

An artist with an irresistible urge to create!

Compasso Lento

Leia com passo lento...

Devir

O que vejo, sinto e imagino em letras.

Posso Dar Uma Dica?

Dicas para facilitar o dia a dia

essa tal de Alemanha

Crônicas do dia a dia

Letíciando

por Letícia Siller

Clau Assi, poesias.

Sonhos, realidades e poesias.

EscreViver

"O que é mais difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco" [Júlio Dantas]

It's a very deep sea

Um site sobre palavras

Divergências Vitais

Memórias, dicas e "causos" de uma brasileira vivendo na Alemanha.

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

Vida de Mil Fases

São fases da vida,elucubrações variadas. É um túnel do tempo, é uma realidade inventada.

Pensamentos In_Versos

No vício da escrita, encontram-se os ditos, os amantes, os gritos internos e todos os avessos...

Trotamundos

by Tati Sato

Simplesmente Lola

Eu e minhas aventuras

Bloco de notas

Escrever é como uma terapia, um socorro, uma esperança. Estando feliz, apaixonada, triste, decepcionada escrevo, pois sei que lendo-me consigo me entender. Escrever é como fugir para um mundo secreto, meu universo particular onde não é proibido sonhar.

Minha Vida Comigo

Um câncer foi o gatilho que me fez querer viver a vida como protagonista. Vânia Castanheira - Medical, Health & Wellness Coach - ACC/ICF

Catarina voltou a escrever,

com vírgulas, pontos e dúzias de reticências...

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

This German Life

um blog sobre nós dois (três) e a Alemanha

Diário de uma Teimosa

dicas de Estocolmo e da vida na Suécia

Eis a questão ...

Um blog realmente pessoal, que guarda um pouquinho de tudo aquilo que a autora gosta, faz, inventa, cozinha, desenha. Por isso, não precisa fazer sentido, não tem pretensões de seguir uma linha ou chegar a algum lugar específico: apenas existe para registrar, guardar e compartilhar um pouco dessas coisas de Olivia.

%d blogueiros gostam disto: