TRABALHAR AS EMOÇÕES FERIDAS

by Pe. Léo, scj


Problemas existem. Dificuldades de relacionamento são relativamente normais. Não podemos, sob nenhuma hipótese, permitir que essas dificuldades se transformem em ressentimentos.

Existem situações que fogem ao nosso controle, que acabam por gerar desentendimento. Mas isso jamais pode ser um obstáculo para que vivamos como irmãos e nos amemos cada vez mais. O segredo é não deixar o sentimento negativo se transformar em ressentimento. A verdade precisa aparecer sempre. O grande critério para nossos relacionamentos, que tem de estar acima de qualquer dúvida ou discussão é a verdade do Evangelho (cf. Gl 2,14).
É preciso aprender a expressar nossos sentimentos positivos e também os negativos. Não adianta querer se martirizar guardando tudo no coração. Mas é preciso aprender a fabulosa arte de se expressar, especialmente quando somos provocados por sentimentos estragados e encardidos. Se já é difícil expressar os sentimentos bons, quanto mais expressar corretamente os sentimentos estragados. É preciso saber como falar e, acima de tudo, falar com objetivo de fazer crescer, de desejar a cura do outro e não sua destruição.
Precisamos descobrir nossos sentimentos e nossas reações para trabalhar corretamente a fim de que não se transformem em ressentimentos. É preciso aprender a conviver com as limitações do coração e, mais ainda, aprender a partilhar de modo positivo as emoções negativas. A libertação é consequência de um sério esforço com esse objetivo. Ninguém está imune ao ressentimento. Ninguém consegue superá-lo só com alguns bons conselhos.
O ser humano vive e se abastece pelo diálogo. Esse é o modo natural de comunicação, mas parece que nos esquecemos de algo tão óbvio e evidente, e, diante dos problemas de relacionamento, nos fechamos num silêncio sepulcral. Sem a coragem de dialogar não existe a menor possibilidade de evitar que os problemas mais comuns do dia a dia acabem por se transformar em ressentimento. Além do diálogo honesto, maduro, franco, aberto e sincero, é preciso apresentar a Deus nossas dificuldades de relacionamento. Tudo o que somos e tudo o que sentimos deve ser objeto de nossas orações. A cura do ressentimento é fruto dessa dupla dimensão da comunicação humana: diálogo com as pessoas e diálogo com Deus (oração).
Assim como a oração precisa ser sincera, o diálogo também deve obedecer a essa lei fundamental. Sinceridade significa estar desarmado. Não há como um diálogo ser canal de cura se vou ao encontro do outro com o coração armado e pronto para criticar, brigar, ofender e culpar. Isso não é diálogo, é provocação. É claro que preciso ter a liberdade de me expressar com a maior verdade possível. Amar é falar tudo o que penso ao outro, mas é também poder falar sem pensar. Aliás, essa é também a grande oração que precisamos aprender. A oração mais poderosa que fazemos é quando temos a coragem de falar abertamente com Deus. A melhor oração para a cura é aquela que fazemos quando não estamos rezando.
No diálogo fraterno e honesto não pode existir a intenção de ofender o outro ou de devolver a ofensa recebida. Se existe essa intenção, é melhor deixar para outra hora. Tudo o que falamos na hora da exaltação e da raiva só ajuda a aumentar o problema e aprofundar a ferida. O diálogo só é curador quando ocorre num clima de amizade fraterna, com o objetivo de solucionar o problema, de sanar a ferida e de levar a outra pessoa a crescer. O diálogo só é curador se ajuda quem fala e quem escuta. Ou ajuda a curar os dois envolvidos no processo ou não é cura do ressentimento.
Por isso, o diálogo curador exige a coragem de ouvir. É preciso se colocar no lugar do outro, tentando enxergar o problema a partir do ponto de vista dele, saber como o outro está vendo ou sentindo a situação. Só existem brigas quando essas visões são absolutamente contrárias e quando um ou os dois não conseguem dar o braço a torcer.
* O autor desse escrito é “fera” no conhecimento de vida, não acham???!!!
Anúncios

30 responses to this post.

  1. Tina, eu também acho! Tive o prazer de conhecê-lo. Ele estudou no Conventinho em Taubaté e era muito engraçado.Vlw!:)

    Curtir

    Responder

  2. Rovênia, isso mesmo. A gente tem que ter muito jogo de cintura para não ficar curtindo rancores.Uma ótima sexta, Rovênia!:)

    Curtir

    Responder

  3. Acho!Um mestre 🙂

    Curtir

    Responder

  4. Ele está certo e espero que seja um executor das próprias ideias. Só sei que na hora da raiva, é melhor se afastar, se acalmar e depois chegar para conversar. Quando vc abre o coração, a pessoa que te ofendeu geralmente se sensibiliza. E fica tudo bem para quem não quer guardar rancor no coração. 🙂 Uma ótima quinta-feira, Manoel!

    Curtir

    Responder

  5. Larissa, minha querida amiga genial e criativa. Você tem razão. Nossos sentimentos ruins são piores para nós mesmos. Obrigado pelo carinho do seu elogio.Beijos!!!

    Curtir

    Responder

  6. Rita, muito obrigado pelo carinho de sua presença e comentário. Gostei muito de sua opinião. É isso mesmo.Um ótimo feriado para você também.Bjuss

    Curtir

    Responder

  7. Ótimo post!Sentimento ruins não fazem bem a ninguém, nem a nós mesmos como as pessoas que estão a nossa volta que percebem (às vezes) que algo não anda bem com a gente. Não é nada estar assim, pois tem pessoas a nossa volta que querem nos ajudar e outras que querem nos colocar para baixo, por isso é muito importante tomar cuidado também com as pessoas.Beijos, seu blog anda cada vez melhor!!!blogandoseuassunto.blogspot.com.br/be–different.blogspot.com.br/umasimplespatricinha.blogspot.com.br/blog-sapatinho-de-cristal.blogspot.com.br/

    Curtir

    Responder

  8. Su, você falou uma coisa que achei muito importante: "O perdão é algo que você faz por você e não pelo outro.É verdade mesmo. O alívio é da gente. E aproveitando isso, eu acho muito bom (em especial para mim) colocar esses textos sérios que geram diversas opiniões e que a gente aprende muito. Hoje em dia com a redução do costume de amigos e casais amigos se visitarem, baterem papos, filosofarem um pouco, eu achei importante para mim ter esse relacionamento virtual que dá a oportunidade de conhecer as diversas facetas do ser humano. Ajuda muito na convivencia. Só não pode ser isso tudo encarado como concorrencia para ver quem sabe mais. Aí é ridículo, né? A essa hora por exemplo, depois de um dia puxado de trabalho (graças a Deus), caia bem jogar uma conversinha fora, kkk!Su, aluguei você com os meus "nada a ver"!Beijos

    Curtir

    Responder

  9. Bom dia , e que texto bom de ler erefletir, saber lidar com tudo e perdoas tbémmas de coração mesmo, porque ficar comsentimentos ruins dentro da gente é muitoruim.Deixo um abraço de bom feriadoBjussRita!!!!

    Curtir

    Responder

  10. Adorei o post!!!!Guardar sentimentos ruins não faz bem a ninguém, digo isso por experiência própria. Não é tão fácil assim se libertar deles também, exige-se muito esforço pessoal e vontade de mudar, mas é possível e vale a pena. Não há pessoas perfeitas, precisamos aprender a conviver com as diferenças e limitações um do outro. Assim poderemos ser felizes e livres 🙂 O perdão é sempre o melhor caminho! É algo que você faz por você e não pelo outro. Beijos!

    Curtir

    Responder

  11. Aline, com certeza são muito difíceis mesmo e quanto mais passa o tempo sem solução, pior vai ficando. Desgasta a gente. Boa dica dessa sua mentalização de fé redobrada. Valeu!Beijos.

    Curtir

    Responder

  12. Anne, em geral é por uma bobeira mesmo. A mesma coisa ocorreu comigo. Não só não perdoou como ficou até meio descontrolada. E o pior de tudo é que eu não tinha feito nada para ela. Talvez uma outra pessoa… Sei lá. Mas teve um dia que a encontrei numa grande e deserta avenida daqui. Ambos a pé. Quando a vi atravessei a avenida e falei tudo o que eu devia ter falado a tempos, pensei comigo: agora ela me mata, kkk! No fim acho que falei o que devia falar mesmo. Nos abraçamos, nos perdoamos e nos entendemos. Quando nos encontramos por aí, não tocamos no assunto (está deletado, rs), mas sempre nos olhamos e dizemos por dentro que valeu a pena a nossa compreensão.bjs!

    Curtir

    Responder

  13. Manoel, a superação de certas dores, às vezes, não se dá de uma forma fácil. É difícil praticar esse comportamento, mas é super necessário. Eu sei que quando estou triste ou fases difíceis, o meu melhor "remédio" é a fé. Até eu fiz um pequeno pensamento que virou o meu mantra: "Dias difíceis, fé redobrada". Adorei o texto. Beijos.

    Curtir

    Responder

  14. Manoel, é mesmo uma fera!E que lição de sabedoria!Procuro sempre conversar logo com a pessoa quando a ofendo ou vice versa,pra deixar tudo em pratos limpos e zerar tudo pra não virar bola de neve.Infelizmente,já tive uma pessoa que não me perdoou e é muito triste quando isso acontece.É pior do que a gente se ressentir,quando a outra pessoa se ressente da gente por uma bobeira!Excelente artigo!bjs,

    Curtir

    Responder

  15. MARILENE, é difícil mesmo. Em cada situação, tenta-se um jogo de cintura, mas a verdade é sempre necessária.Quanto a minha delicadeza, eu tenho uma admiração muito grande por você. Seus poemas são sempre muito talentosos e seus escritos empolgantes na medida certa. Acho você muito inteligente!Bjs.

    Curtir

    Responder

  16. Francieli, se você puder me fazer esse favor eu agradeço. Assim coloco um link do seu blog na página do meu.bjss.

    Curtir

    Responder

  17. Camila, a vida vai ensinando a gente, rs…rs.Bjs.

    Curtir

    Responder

  18. Carla, que bom que você gostou.Um abraço, eu que agradeço sua presença.

    Curtir

    Responder

  19. Bak, amiga muito querida. Não se preocupe. Você mora aqui no meu coração.Interessante o seu comentário. Eu acho que todas essas coisas vão se encaixar com a convivência. O dia a dia ensina o nosso "desconfiômetro" a funcionar e resolver tudo isso.Kisu!

    Curtir

    Responder

  20. Will, gostei do paralelo com o banco de jardim. Quanta coisa foi resolvida no banco do jardim, né?, kkk!Um abraço.

    Curtir

    Responder

  21. ✿ chica, concordo. O diálogo é fundamental mesmo.Um grande abraço.

    Curtir

    Responder

  22. Manoel, como é difícil a prática desse necessário comportamento! Não podemos nos manifestar nos momentos de raiva porque vamos criar um clima que não permitirá o indispensável entendimento. Inflamados, exageramos. Mas esconder a insatisfação cria, de fato, o ressentimento, extremamente destrutivo. Creio que não se deve elogiar o que não apreciamos. E que devemos cientificar o outro, seja quem for, de nosso sentimento desagradável quanto a uma ocorrência. A verdade é necessária, mas tem que estar embutida em palavras que não machuquem. O texto é ótimo.Você foi de uma delicadeza extrema colocando os selos dos meus blogs na lateral do seu, com indicação para leitura. Nossa, fiquei encantada. Obrigada!! Bjs.

    Curtir

    Responder

  23. Ahh q legal *-*… Ah n tem mais caixinha de link-me mas, se vc quiser mando o codigo da minha antiga *-*fashion em cores -com

    Curtir

    Responder

  24. Belíssimo texto! Palavras que envolvem sofrimento de amor sempre me atraem, pois é algo que ainda preciso aprender a lidar! Bjs

    Curtir

    Responder

  25. O autor é fera mesmo. Ótimo texto e muito útil, Manoel. Abraço e obrigada!

    Curtir

    Responder

  26. Olá meu querido! Desculpe a ausência, estava corrida na última semana. Acho que não é difícil expressar quaisquer sentimentos, o problema é como as pessoas falam e como as outras interpretam. As pessoas não percebem, mas fazem isso baseado na educação que tiveram e na convivência com outras ou até mesmo da sua própria percepção da vida. É difícil não ter ressentimento por algum sentimento estragado, mas tb acho que nada é irreversível.Kisu!

    Curtir

    Responder

  27. Olá, Manoel.Parece que o diálogo é mesmo o banco do jardim que nos faz repensar a vida e dar ânimo de seguir a caminhada.Um abraço!

    Curtir

    Responder

  28. Maravilhoso! E o diálogo é fundamental nas relações. Sem ele tudo complica! abração,chica

    Curtir

    Responder

  29. Ana Paula, esse veneno acabamos por ingerir em função de ficarmos cheios de cerimônias com a outra pessoa e não nos fazermos conhecer e não a conhecê-la. Apesar do avanço da Psicologia, a maior parte das pessoas acha que conhecer sobre isso é só para "malucos" e se priva de construir uma vida a dois com bastante estrutura e muito equilíbrio. O importante é que só a teoria não adianta. Tem que praticar e se for necessário fazer uma terapia para aprender a ser feliz, vá. A família brasileira agradece, não é mesmo?bj (Simplificação de "beijo", porém com o mesmo carinho que ele expressa, rs…rs!).

    Curtir

    Responder

  30. Manoel, acho que um veneno para os relacionamentos é guardar e não expressar nossos sentimentos. Perdemos excelentes oportunidades de elogiar e outras vezes não falamos o que nos incomoda e de repente de tanto guardar, tudo aquilo sai de uma vez, jorrando. O que, claro, não trará bons resultados.Um exercício diário elogiar, colocar os ressentimentos para fora sem magoar… vamos aprendendo, inclusive com os textos que você nos apresenta! bj

    Curtir

    Responder

MUITO BOM COMPARTILHAR COM VOCÊ !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Antes de Adormecer

Sobre amor e outras coisas

Um Palco de Teatro

Poesias, Textos, Frases e Reflxões sobre o amor e a vida.

Sopa de Letras

Literatura, Cinema, Música, Educação e outros temas.

ESTRANHAMENTE

#poesia #crônica #fotografia

versaopaulo

cultura e história da cidade

Vida Legal

Porque a vida é muito mais interessante que a ficção.

imperfeitoparaiso

Aleatoriedades

Blog do Óbvio

Assuntos Diversos e Diversos Assuntos

A DOSE DO DIA

O dia mais bem humorado da semana ;)

frascodememorias.wordpress.com/

“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Meio pão e um livro

Eu, se tivesse fome e estivesse à míngua na rua, não pediria um pão; pediria meio pão e um livro. (García Lorca)

O Outro Lado

Porque o melhor lado é o dentro

Abstract Art by Sharon Cummings

An artist with an irresistible urge to create!

Compasso Lento

Leia com passo lento...

Devir

O que vejo, sinto e imagino em letras.

Posso Dar Uma Dica?

Dicas para facilitar o dia a dia

essa tal de Alemanha

Crônicas do dia a dia

Letíciando

por Letícia Siller

Clau Assi, poesias.

Sonhos, realidades e poesias.

EscreViver

"O que é mais difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco" [Júlio Dantas]

It's a very deep sea

Um site sobre palavras

El Diver

a vida em todas as suas divergências

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

Vida de Mil Fases

São fases da vida,elucubrações variadas. É um túnel do tempo, é uma realidade inventada.

Pensamentos In_Versos

No vício da escrita, encontram-se os ditos, os amantes, os gritos internos e todos os avessos...

Trotamundos

by Tati Sato

Simplesmente Lola

Eu e minhas aventuras

Bloco de notas

Escrever é como uma terapia, um socorro, uma esperança. Estando feliz, apaixonada, triste, decepcionada escrevo, pois sei que lendo-me consigo me entender. Escrever é como fugir para um mundo secreto, meu universo particular onde não é proibido sonhar.

Minha Vida Comigo

Um câncer foi o gatilho que me fez querer viver a vida como protagonista. Vânia Castanheira - Medical, Health & Wellness Coach - ACC/ICF

Catarina voltou a escrever,

com vírgulas, pontos e dúzias de reticências...

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

This German Life

um blog sobre nós dois (três) e a Alemanha

Diário de uma Teimosa

dicas de Estocolmo e da vida na Suécia

Eis a questão ...

Um blog realmente pessoal, que guarda um pouquinho de tudo aquilo que a autora gosta, faz, inventa, cozinha, desenha. Por isso, não precisa fazer sentido, não tem pretensões de seguir uma linha ou chegar a algum lugar específico: apenas existe para registrar, guardar e compartilhar um pouco dessas coisas de Olivia.

Sacudindo as ideias

Exercícios literários, escrita solta, pensamentos...

%d blogueiros gostam disto: