CIÚME

O ciúme é um sentimento bem conhecido de todos. Quem nunca o experimentou ao longo da vida? Isto significa que ele é uma emoção bem comum, conferindo até um certo sabor ao relacionamento afetivo. Alguns afirmam inclusive que ele mantém a chama da paixão acesa. E também, como o medo, é uma espécie de antena que nos alerta quanto à presença ou ausência do amor na relação, portanto indica a proximidade ou não de um certo perigo para a interação entre os parceiros.

Mas, ao ultrapassar determinadas fronteiras, ele se torna nocivo e patológico, causando profundos danos ao relacionamento. Ciúme, em francês, se traduz por ‘jalousie’, expressão da qual se originou a palavra ‘gelosia’, que há tempos atrás denotava o termo ‘janela’. Conta-se que alguns maridos, com ciúmes de suas esposas, importaram para suas residências persianas ou venezianas, para que elas ficassem ocultas dos olhares alheios e ao mesmo tempo pudessem acompanhar os acontecimentos externos – esta é a opinião do Professor Doutor em Literatura Dionísio da Silva.

Este sentimento envolve geralmente três pessoas – o ciumento, o objeto do ciúme e o agente que o provocou. Neste complexo triângulo amoroso, as sensações de perda e de ameaça levam à eclosão desta emoção que pode se tornar altamente explosiva. De certa forma, pode-se dizer que ele está presente nos instintos humanos, mas em excesso demonstra que a pessoa não está conseguindo controlar bem seus impulsos. Ele também envolve uma outra questão, a da confiança, que nos remete a outro ponto importante, o da segurança.

Quando o indivíduo não consegue desenvolver o suficiente sua auto-estima, sente-se inferior ao outro e, portanto, está constantemente inseguro. Ele mesmo se compara às outras pessoas, e inconscientemente sente-se derrotado nesta comparação. Assim, está sempre em estado de alerta nesta persistente competição que ele mesmo engendrou. É natural então que ele comece a ver fantasmas onde eles não existem, e acabe transformando seu medo de perder o ser amado em uma terrível obsessão.

Desta forma, acaba afastando o outro, o que o deixa ainda mais inseguro, ciumento e obsessivo, criando uma espécie de círculo vicioso neste relacionamento fadado ao fracasso. Desesperado, o parceiro passa a controlar e limitar mais a vida da outra pessoa, restringindo sua liberdade, bombardeando-a com acusações muitas vezes sem nenhum fundamento, sufocando a tal ponto o ser amado que a relação amorosa acaba desmoronando de vez. Este ciúme patológico gera no seu portador uma intensa carga de ressentimento, mágoa e, algumas vezes, um desejo doentio de vingança, o que, infelizmente, pode provocar os famosos crimes passionais.

É o que se vê retratado na famosa tragédia de Shakespeare, “Otelo- O Mouro de Veneza”. Nesta obra, enlouquecido de ciúme de sua amada Desdêmona, a qual ele acredita traí-lo com seu melhor amigo, Otelo, sem conseguir submeter seus impulsos à razão, o que o impede de perceber a inocência da esposa, cede aos seus instintos e a mata. No dia-a-dia vemos esta mesma história se repetir sem cessar. Este sentimento é deveras democrático, pois qualquer pessoa, independente de raça, sexo, etnia ou classe social, está sujeito a ele. Ele só desaparecerá quando o Homem aprender realmente a amar, o que implica aprender que ninguém é dono de ninguém, pois o outro é livre, e assim somente os laços do amor podem mantê-lo ao nosso lado. Portanto, apenas ao curar as dores da alma, entre elas o medo, a falta de confiança em si mesmo e no outro, a insegurança, entre outras, é que este monstro devorador das relações afetivas será vencido.

* Você está conseguindo controlar seus impulsos???!!!

 

Fontes:

http://www.geocities.com/kelenusp/ciumes/ciumes.htm
http://www.dominiofeminino.com.br

Anúncios

6 responses to this post.

  1. EU achava que eu não era ciumenta, mas de todas as vezes que tive acesso de ciúmes foi quando a minha autoestima estava muito baixa. É bem notável porque eu geralmente tenho muita confiança em mim. É um assunto que muita gente acha que não é, mas tem mais do que imagina.

    Kisu!

    Curtir

    Responder

  2. Posted by paulaoliveiras on 18 de outubro de 2013 at 11:29

    Que tema mais interessante. Ciúme é realmente uma arma perigosa. Num nível saudável, acredito que seja até algo gostoso, mas passando disso já incomoda, vira obsessão…
    Respondendo a pergunta ao fim do texto, sim, creio que tenho conseguido controlar o meu ciúme, mas não acho que é mérito meu. Meu namorado tem grande parte nisso. Ele me deixa segura, não me dá motivos de ter desconfianças e olha que moramos longe. Então acho que isso mostra que há outras variáveis nessa história.

    Curtir

    Responder

    • Paula, essas outras variáveis só se manifestam porque o relacionamento de vocês é muito rico e essa diversidade de carinho só pode trazer confiança. Fala-se muito em ciúme, mas percebo que o grave mesmo é a falta de confiança. Gostei do seu comentário porque acrescentou mais coisas a postagem.

      Um beijo

      Curtir

      Responder

  3. Manô,

    Ciumes não tem nada a ver com amor, posto que este se fundamenta em confiança e ciumes é exatamente a ausência dela. Não o vejo como forma de manter a paixão acesa, ele na verdade mina aos poucos qualquer sentimento.É bom lembrarmos que ele ocorre em qualquer relação, quem o tem, o tem em todos os relacionamentos e tem muito mais a ver com uma necessidade enrustida de se querer sempre ser o centro da atenção do objeto do qual se tem ciúme, penso. Ótimo texto! Gr. Bj. e obrigada Manô!

    Curtir

    Responder

MUITO BOM COMPARTILHAR COM VOCÊ !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Antes de Adormecer

Sobre amor e outras coisas

Um Palco de Teatro

Poesias, Textos, Frases e Reflxões sobre o amor e a vida.

Sopa de Letras

Literatura, Cinema, Música, Educação e outros temas.

ESTRANHAMENTE

#poesia #crônica #fotografia

versaopaulo

cultura e história da cidade

Vida Legal

Porque a vida é muito mais interessante que a ficção.

imperfeitoparaiso

Aleatoriedades

Blog do Óbvio

Assuntos Diversos e Diversos Assuntos

A DOSE DO DIA

O dia mais bem humorado da semana ;)

frascodememorias.wordpress.com/

“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Meio pão e um livro

Eu, se tivesse fome e estivesse à míngua na rua, não pediria um pão; pediria meio pão e um livro. (García Lorca)

O Outro Lado

Porque o melhor lado é o dentro

Abstract Art by Sharon Cummings

An artist with an irresistible urge to create!

Compasso Lento

Leia com passo lento...

Devir

O que vejo, sinto e imagino em letras.

Posso Dar Uma Dica?

Dicas para facilitar o dia a dia

essa tal de Alemanha

Crônicas do dia a dia

Letíciando

por Letícia Siller

Clau Assi, poesias.

Sonhos, realidades e poesias.

EscreViver

"O que é mais difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco" [Júlio Dantas]

It's a very deep sea

Um site sobre palavras

El Diver

a vida em todas as suas divergências

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

Vida de Mil Fases

São fases da vida,elucubrações variadas. É um túnel do tempo, é uma realidade inventada.

Pensamentos In_Versos

No vício da escrita, encontram-se os ditos, os amantes, os gritos internos e todos os avessos...

Trotamundos

by Tati Sato

Simplesmente Lola

Eu e minhas aventuras

Bloco de notas

Escrever é como uma terapia, um socorro, uma esperança. Estando feliz, apaixonada, triste, decepcionada escrevo, pois sei que lendo-me consigo me entender. Escrever é como fugir para um mundo secreto, meu universo particular onde não é proibido sonhar.

Minha Vida Comigo

Um câncer foi o gatilho que me fez querer viver a vida como protagonista. Vânia Castanheira - Medical, Health & Wellness Coach - ACC/ICF

Catarina voltou a escrever,

com vírgulas, pontos e dúzias de reticências...

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

This German Life

um blog sobre nós dois (três) e a Alemanha

Diário de uma Teimosa

dicas de Estocolmo e da vida na Suécia

Eis a questão ...

Um blog realmente pessoal, que guarda um pouquinho de tudo aquilo que a autora gosta, faz, inventa, cozinha, desenha. Por isso, não precisa fazer sentido, não tem pretensões de seguir uma linha ou chegar a algum lugar específico: apenas existe para registrar, guardar e compartilhar um pouco dessas coisas de Olivia.

Sacudindo as ideias

Exercícios literários, escrita solta, pensamentos...

%d blogueiros gostam disto: