HOMEM E MULHER : AS DIFERENÇAS QUE SE COMPLETAM

Imagemby Dado Moura

Aprendemos desde crianças que não podemos excluir aquele que de nós se difere, seja na cor, na crença, na etnia etc. O fato de alguém ser diferente de nós não significa que este seja inferior naquilo que estabelecemos como padrão.

A beleza do masculino e feminino está na desigualdade que atrai o seu oposto, não no sentido de torná-lo inferior por aquele que julga ser o sexo forte.

Melhor será se, dentro de nossos relacionamentos, as pessoas se comportassem como aprendizes daquilo que o outro tem a contribuir e que se percebe não ser próprio da sua natureza.

Homem e mulher são diferentes. As diferenças vão muito além do aspecto anatômico. Algumas características são muito próprias da personalidade masculina, percebidas facilmente no dia a dia das relações, na maneira de pensar, de agir e reagir. Trazemos prioridades distintas, temos identidades próprias. Para os homens a importância das coisas está no cumprimento de uma tarefa. Se há algo a ser feito, mentalmente ele projeta o tempo estimado para realizar o trabalho, enquanto a mulher, além de considerar o trabalho a ser executado, também considera os efeitos gerados por aquela ação.

Especial sobre ‘Mulher’

Na mudança de uma mobília, por exemplo, elas querem que, além do espaço obtido, haja também a harmonia dos objetos. Se for preciso levar o filho ao dentista, o pai foca na ação de levar a criança ao consultório, enquanto a mãe está preocupada nas sensações que essa visita ao profissional pode gerar no(a) filho (a) – seus medos, inseguranças – e procura assim confortá-lo (a) tanto na ida quanto na volta da sua consulta, querendo saber da criança como foi a experiência.

A sensação comum é de que a mulher tem uma visão periférica tão eficaz capaz de “enxergar” até mesmo os sentimentos.

Sem mencionar aqui a sua capacidade de trazer à memoria acontecimentos de anos atrás. Dessa forma, dentro das diferenças entre o masculino e feminino não podemos estabelecer um padrão, assumindo aquilo que somos como o modelo da perfeição. Tampouco cabe ao outro lutar para conquistar uma posição de igualdade para algo de que, na sua essência, não foi constituído. Ninguém gostaria de se relacionar com uma mulher que pensa e age como se fosse um homem. A feminilidade, a suavidade nos toques, a sensibilidade delas é aquilo que um homem espera. Da mesma maneira, a mulher espera do homem atitudes  que se traduzam em segurança, conforto, força, energia.

Imaginemos a decepção de uma esposa que, ao ver uma barata, chama o marido e este, ao invés de matar o inseto, subisse também na cadeira e ambos começassem a gritar?

Lançando mão da nossa capacidade de aprendizado podemos aproveitar a convivência com o sexo oposto e aprender a olhar o mundo não somente com os próprios olhos, mas com os olhos da outra pessoa. Da mesma maneira, podemos aprender a considerar importante aquilo que para o outro é sua riqueza. Talvez seja necessário aprender a rir e a chorar com os nossos, a abraçar e nos permitir ser abraçados… E em outras ocasiões, deixar de competir entre nós.

Que em nosso mundo particular ninguém precise lutar com as discriminações ou estereótipos pregados pelo universo exterior; tampouco se percam o respeito e o amor que se complementam, entre homem e mulher,dentro da relação.

* Achei simples e interessante. Foi bom, ou não ???!!!

Anúncios

14 responses to this post.

  1. Apesar de ser a favor dos direitos iguais, gosto de um homem sendo gentil e cavalheiro.

    Kisu!

    Curtir

    Responder

  2. Manô,

    Penso que já avançamos muito nessa luta, mas não posso negar que há muito ainda a ser mudado no que se refere a igualdade e papéis de homens e mulheres. Numa relação, respeito é algo primordial, pra mim, diria até mais que o amor, posto que este sucumbe à falta daquele. E, onde existe respeito é possível brotar o amor. Gr. Bj.!

    Curtir

    Responder

  3. Sabe meu caro, eu não sei pensar homens e mulheres – eu sei pensar humanos em movimento e, assim sendo, sei que há diferenças e semelhanças e pronto. Sei que um homem pode chorar de emoção tanto quanto uma mulher ao mesmo tempo em que pode ser ríspido, imaturo, impróprio e inadequado tanto quanto uma mulher.
    Não sei pensar um mundo onde mulher deve ser frágil e um homem forte. Sei pensar e gosto que seja assim: um mundo e, pode ser uma utopia – onde um homem e uma mulher seja apenas isso: um homem e uma mulher sem rótulos, apontamentos e desapontamentos… rs

    bacio

    Curtir

    Responder

    • Lunna, eu respeito o seu modo de pensar, contudo eu vejo diferenças muito grandes entre homem e mulher como da mesma forma, se vê macho e fêmea ou masculino e feminino.

      bacio

      Curtir

      Responder

      • Por isso é singular o diálogo meu caro Manoel – entendo o seu ponto de vista e sei que existem sim diferenças meu caro, mas como os humanos geralmente se limitam a isso, prefiro pensar que são apenas parte de um todo… rs

        Curtir

        Responder

        • Lunna, eu não acho “errado” você pensar assim. Concordo com você. Eu é que penso diferente e me é novidade esse seu argumento. Está servindo para que eu reflita nessa sua posição e a entenda melhor. Vou ter que fazer meu cérebro “mascar um pouco de chicletes”, isto é…funcionar, rs…rs!

          bacio

          Curtir

          Responder

  4. Eu ri imaginando o homem subindo na cadeira por causa de uma barata. Balancei a cabeça em várias partes do texto. Muito bem escrito, leve e com uma boa mensagem. As diferenças são o sabor da vida, não? Basta de nós aprender a lidar com elas da melhor forma.

    Curtir

    Responder

  5. Manoel,
    Se este texto revela muitas verdades, tive o sentimento de estar caindo, apesar de uma aparência de objectividade, em alguns estereotipos. Por que razão não poderia um homem demostrar sensibilidade e uma mulher focar-se na ação?
    No mundo moderno, cada um é sempre mais solicitado. Já não vivemos no tempo em que a mulher cuidava exclusivamente do lar e dos filhos. A vida de hoje obriga os dois membros de um casal a trabalhar para poder oferecer um mínimo de conforto e um futuro aos filhos.
    Em alguns países do Norte da Europa, um homem pode, ao mesmo título que uma mulher, decidir cuidar do seu filho durante 2 ou 3 anos, recebendo uma indemnização de paternidade. Em muitos casais, quando a mulher tem um emprego com um rendimento superior ao do seu companheiro, muitos homens fazem a escolha de cuidar dos filhos durante os primeiros anos da sua vida e a esposa de trabalhar. Não é uma troca de papeis, mas notou-se que esses homens, dedicando-se ao lar e aos filhos, desenvolveram essa sensibilidade para as emoções dos pequenos, descritas acima como exclusivamente femininas.
    Terminarei por uma frase dita, durante uma palestra sobre os casal e o relacionamento entre o homem e a mulher, por um Pastor: “Ao preparar esta palestra, li muita documentação sobre as atitudes das mulheres e dos homens. A um certo ponto, fiquei cheio de medo e pensei: “Nossa! Eu sou uma mulher e não sabia!!””
    Grande abraço! 🙂

    Curtir

    Responder

MUITO BOM COMPARTILHAR COM VOCÊ !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Antes de Adormecer

Sobre amor e outras coisas

PANELA EUROPÉIA

O mundo numa panela só

Um Palco de Teatro

Poesias, Textos, Frases e Reflxões sobre o amor e a vida.

Sopa de Letras

Literatura, Cinema, Música, Educação e outros temas.

ESTRANHAMENTE

#poesia #crônica #fotografia

versaopaulo

cultura e história da cidade

Vida Legal

Porque a vida é muito mais interessante que a ficção.

imperfeitoparaiso

Aleatoriedades

Blog do Óbvio

Assuntos Diversos e Diversos Assuntos

Poesias e Cia - Ana de Lourdes Teixeira

Sem pretensões... O único desejo é compartilhar com as pessoas o que escrevo.

A DOSE DO DIA

O dia mais bem humorado da semana ;)

Realize Criatividade

por Patrícia de Azevedo

frascodememorias.wordpress.com/

“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Blog Caderno da Lua

#ApoioAutoresNacionais

Meio pão e um livro

Eu, se tivesse fome e estivesse à míngua na rua, não pediria um pão; pediria meio pão e um livro. (García Lorca)

O Outro Lado

Porque o melhor lado é o dentro

Abstract Art by Sharon Cummings

An artist with an irresistible urge to create!

Compasso Lento

Leia com passo lento...

Devir

O que vejo, sinto e imagino em letras.

Posso Dar Uma Dica?

Dicas para facilitar o dia a dia

essa tal de Alemanha

Crônicas do dia a dia

Letíciando

por Letícia Siller

Clau Assi, poesias.

Sonhos, realidades e poesias.

EscreViver

"O que é mais difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco" [Júlio Dantas]

It's a very deep sea

Um site sobre palavras

Divergências Vitais

Memórias, dicas e "causos" de uma brasileira vivendo na Alemanha.

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

Vida de Mil Fases

São fases da vida,elucubrações variadas. É um túnel do tempo, é uma realidade inventada.

Pensamentos In_Versos

No vício da escrita, encontram-se os ditos, os amantes, os gritos internos e todos os avessos...

Trotamundos

by Tati Sato

Simplesmente Lola

Eu e minhas aventuras

Bloco de notas

Escrever é como uma terapia, um socorro, uma esperança. Estando feliz, apaixonada, triste, decepcionada escrevo, pois sei que lendo-me consigo me entender. Escrever é como fugir para um mundo secreto, meu universo particular onde não é proibido sonhar.

Minha Vida Comigo

Um câncer foi o gatilho que me fez querer viver a vida como protagonista. Vânia Castanheira - Medical, Health & Wellness Coach - ACC/ICF

Catarina voltou a escrever,

com vírgulas, pontos e dúzias de reticências...

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

This German Life

um blog sobre nós dois (três) e a Alemanha

Diário de uma Teimosa

dicas de Estocolmo e da vida na Suécia

Eis a questão ...

Um blog realmente pessoal, que guarda um pouquinho de tudo aquilo que a autora gosta, faz, inventa, cozinha, desenha. Por isso, não precisa fazer sentido, não tem pretensões de seguir uma linha ou chegar a algum lugar específico: apenas existe para registrar, guardar e compartilhar um pouco dessas coisas de Olivia.

%d blogueiros gostam disto: