DEPOIS DOS 40

Imagemby Fabrício Carpinejar

Depois dos 40 anos, o pensamento feminino muda, desembaraça.
O sexo não é mais performance, exaustão, é fazer o que se gosta e do jeito que gosta. É aproveitar dez minutos com a intensidade de uma noite inteira, é reconhecer o rosto do próprio desejo no primeiro suspiro, é optar pela submissão por puro prazer, sem entrar na neurose da disputa ou do controle.
A mulher de 40 não diminui o ritmo da intimidade. Pode ler um livro com a intensidade de uma transa. Pode assistir um filme com a intensidade de uma transa. Pode conversar com a intensidade de uma transa. Ela não tem um momento para a sensualidade, a sensualidade é todo momento.
Tomar o café da manhã não é apenas um desjejum, tem a sua identidade, o seu ritual, um refinamento da história de seus sabores. Tomar o café da manhã com uma mulher de 40 anos é participar de sua memória, de suas escolhas.
Ela não precisa mais provar nada. Já sofreu separações, e tem consciência de que suporta o sofrimento. Já superou dissidências familiares, e tem consciência de que a oposição é provisória. Já recebeu fora, deu fora, entende que o amor é pontualidade e que não deve decidir pelo outro ou amar pelos dois.
A mulher de 40 anos, cansada das aparências, cometerá excessos perfeitos. É mais louca do que a loucura porque não se recrimina de véspera. É ainda mais sábia do que a sabedoria porque não guarda culpa para o dia seguinte.
A beleza se torna também um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento. A beleza é resultado da elegância das ideias, não somente do corpo e dos traços físicos.
Encontrou a suavidade dentro da serenidade. A suavidade que é segurança apaixonada, confiança curiosa.
O riso não é mais bobo, mas atento e misterioso, demonstrando a glória de estar inteira para acolher a alegria improvisada, longe da idealização, dentro das possibilidades.
Não existe roteiro a ser cumprido, mapa de intenções e requisitos.
Há a leveza de não explicar mais a vida. A leveza de perguntar para se descobrir diferente, em vez de questionar para confirmar expectativas.
Ser tia ou mãe, ser solteira ou casada não cria angústia. Os papéis sociais foram queimados com os rascunhos.
A mulher de 40 é a felicidade de não ter sido. É a felicidade daquilo que deixou para trás, daquilo que negou, daquilo que viu que era dispensável, daquilo que percebeu que não trazia esperança.
Seu charme vai decorrer mais da sensibilidade do que de suas roupas. O que ilumina sua pele é o amor a si, sua educação, sua expressividade ao falar.
A beleza está acrescida de caráter. Do destemor que enfrenta os problemas, da facilidade que sai da crise.
A beleza é vaidosa da linguagem, do bom humor. A beleza é vaidosa da inteligência, da gentileza.
* Depois dos 40 anos não há depois, é tudo agora.
Fonte: Publicado na Revista Isto É Gente

Anúncios

26 responses to this post.

  1. Posted by Frasco de Memórias on 12 de março de 2014 at 14:02

    Quase nessa etapa 😉 Espero ser assim daqui a nada! Gostei muito!

    Curtir

    Responder

  2. Tô nessa turma!!! Mas confesso deu um medinho, um friozinho na barriga… agora tantas águas rolaram… simbora encarar os 50…risos…..

    Curtir

    Responder

  3. Posted by Bah on 5 de março de 2014 at 22:49

    Quero chegar nos 40 assim mesmo auahahua

    KIsu!

    Curtir

    Responder

  4. Manoel,
    Li este artigo e pensei muito antes de comentar. Estando eu nessa “categoria” de que nos fala Fabrício Carpinejar, quis refletir para saber se me reconhecia.
    Não é o caso para tudo, mas globalmente, é verdade que os complexos da juventude já se foram, as questões geradas pela falta de confiança pessoal também já voaram, e muitos preconceitos quebraram-se e mil pedaços.
    Surgiram outras questões, outros complexos e outros preconceitos… para nos fazer sempre evoluir e crescer, mas resta a confiança no Mundo e na Vida, o conhecimento das nossas capacidades e dos nossos limites e a calma que só a experiência pode ensinar…
    Mas, como dizia a minha sábia avó: “É preciso continuar a aprender sempre. Se nada aprendemos um dia, será certamente o último da nossa vida.”
    Continuemos, então, a aprender, a aprender-nos…
    Obrigada por esta bela reflexão para iniciar o fim de semana! 🙂
    Grande Beijinho!

    Curtir

    Responder

    • Dulce, gostei muito de seu comentário com reflexão e tudo o mais. Muito sábia mesmo a consideração da avozinha. É um chavão, mas é correto dizer que a vida é um aprendizado. É o famoso vivendo e aprendendo.
      🙂
      Beijinho no coração,
      Manô

      Curtir

      Responder

  5. Que delícia ler esse texto!!
    Além de me sentir lisonjeada, amei cada ponderação, cada palavra, cada sentença. Que olhar bonito e amplo! Li e pensei que gostaria de ter escrito esse texto.
    Obrigada por ele e Parabéns!
    Beijo,

    Curtir

    Responder

  6. “nois” foi otimo hein! kkkkk eu quis dizer nós*

    Curtir

    Responder

  7. Nossa, quantas postagens na minha ausencia rs tenho muito o que ler ainda! Com relacao a esse texto, simplesmente amei!! Eh tao bom ver algo que exauta a mulher e sua maturidade. Algo que mostre que o tempo te traz coisas boas que fazem de sua vida e visao de mundo melhor. Eh cansativo a forma como vemos em todo lugar um estimulo a mulher nao querer que o tempo passe. Como se as coisas boas da vida da mulher so acontecessem aos 20. O tempo pode deixar marcas na pele (e quem disse que essas marcas sao ruins? Provavelmente a industria de cremes anti-rugas, claro), mas tambem deixa marcas em nossa alma, licoes que fazem de nois pessoas mais leves. Hoje eu tenho 24 e ja nao me incomodo com varias coisas que me incomodavam aos 17. Isso me traz seguranca e tranquilidade para aproveitar mais a vida. Quando eu tiver 40 acho que sera ainda melhor! Que venham todas as marcas pois elas fazem parte de minha identidade e historia pessoal.

    Curtir

    Responder

  8. maravilhoso texto Manoel!! sem dúvida a beleza é um estado de espírito, acrescida de carácter; o amor próprio é a nossa “luz” e a sensualidade é todo o momento; os “papéis sociais” não são “relevantes” mas sim a nossa paz interior; e o importante é questionarmos para nos descobrirmos e não questionar para confirmar expectativas… ainda me faltam uns anos para chegar aos quarenta, mas mesmo assim, considero-me humildemente detentora de alguns destes atributos 😉 a vida encarrega-se de nós “moldar” 🙂 mas confesso que muito ainda vou mudar.. acho que tudo tem o seu tempo …
    obrigada pela deliciosa partilha!!
    um beijinho

    Curtir

    Responder

  9. Posted by Fernanda on 28 de fevereiro de 2014 at 16:28

    Serviu a carapuca 🙂

    Curtir

    Responder

  10. Posted by adrianabalreira on 28 de fevereiro de 2014 at 14:54

    Perfeito! É isso mesmo, a mulher de 40 é tudo isso mesmo. Não se preocupa mais tanto com a beleza, ela quer ser ela, somente ela. Estou com 42 anos com muito orgulho e vivendo os melhores anos!
    Beijos e bom carnaval!
    Adriana

    Curtir

    Responder

  11. Puxa! Que Puxa! Esse é o Carpinejar! Adoro seus textos e esse aqui então, me sinto homenageada. Obrigada Carpinejar! Obrigada Manoel!

    Curtir

    Responder

MUITO BOM COMPARTILHAR COM VOCÊ !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

© Célia Moura

Biografia, Poesia, Pensamentos, Prosa Poética, Obras Publicadas, Projectos Literários

Relatos desde mi ventana

Sentimientos, emociones y reflexiones

Violeta López

violetalc01@gmail.com

Deixe escapar a emoção

Fabiana Oliveira

Tatyanna Gois

little ginger girl

Bastidores da Escrita

escritores rumo à publicação

Oh kah

por Verônika Leicam

Cara de Cotia

Meio divertida, por vezes filosófica, sempre confusa!

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

Vovente by: Jessica Pereira

Um pedaço do meu coração está em você.

seismaisdois

um blog sobre tudo feito por alguém que não sabe nada

EscreViver

"Eu escrevo para os outros existirem", José Luís Peixoto

Dezassete

A felicidade passa por aqui

Vida Legal

Porque a vida é muito mais interessante que a ficção.

Antes de Adormecer

Sobre amor e outras coisas

Um Palco de Teatro

Poesias, Textos, Frases e Reflxões sobre o amor e a vida.

frascodememorias.wordpress.com/

“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Blog Caderno da Lua

#ApoioAutoresNacionais

Meio pão e um livro

Eu, se tivesse fome e estivesse à míngua na rua, não pediria um pão; pediria meio pão e um livro. (García Lorca)

O Outro Lado

Porque o melhor lado é o dentro

Compasso Lento

Leia com passo lento...

Devir

O que vejo, sinto e imagino em letras.

Clau Assi, poesias.

Sonhos, realidades e poesias.

EscreViver

"O que é mais difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco" [Júlio Dantas]

El Diver

a vida em todas as suas divergências

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

Vida de Mil Fases

São fases da vida,elucubrações variadas. É um túnel do tempo, é uma realidade inventada.

Pensamentos In_Versos

No vício da escrita, encontram-se os ditos, os amantes, os gritos internos e todos os avessos...

Trotamundos

by Tati Sato

Simplesmente Lola

Eu e minhas aventuras

Bloco de notas

Escrever é como uma terapia, um socorro, uma esperança. Estando feliz, apaixonada, triste, decepcionada escrevo, pois sei que lendo-me consigo me entender. Escrever é como fugir para um mundo secreto, meu universo particular onde não é proibido sonhar.

Minha Vida Comigo

Um câncer foi o gatilho que me fez querer viver a vida como protagonista. Vânia Castanheira - Medical, Health & Wellness Coach - ACC/ICF

%d blogueiros gostam disto: