MANOEL POR MANOEL

Imagemby Manoel de Barros

Eu tenho um ermo enorme dentro do olho. Por motivo do ermo não fui um menino peralta. Agora tenho saudade do que não fui. Acho que o que faço agora é o que não pude fazer na infância. Faço outro tipo de peraltagem. Quando eu era criança eu deveria pular muro do vizinho para catar goiaba. Mas não havia vizinho. Em vez de peraltagem eu fazia solidão. Brincava de fingir que pedra era lagarto. Que lata era navio. Que sabugo era um serzinho mal resolvido e igual a um filhote de gafanhoto.
Cresci brincando no chão, entre formigas. De uma infância livre e sem comparamentos. Eu tinha mais comunhão com as coisas do que comparação.
Porque se a gente fala a partir de ser criança, a gente faz comunhão: de um orvalho e sua aranha, de uma tarde e suas garças, de um pássaro e sua árvore. Então eu trago das minhas raízes crianceiras a visão comungante e oblíqua das coisas. Eu sei dizer sem pudor que o escuro me ilumina. É um paradoxo que ajuda a poesia e que eu falo sem pudor. Eu tenho que essa visão oblíqua vem de eu ter sido criança em algum lugar perdido onde havia transfusão da natureza e comunhão com ela. Era o menino e os bichinhos. Era o menino e o sol. O menino e o rio. Era o menino e as árvores.

* Bacana essa visão da criança, não acham???!!!

Fonte: Digitado e conferido por mim mesmo (Manoel de Barros) em 12 de outubro de 2012 no livro Memórias inventadas – As Infâncias de Manoel de Barros, São Paulo: Planeta do Brasil, 2010. p. 187

Anúncios

18 responses to this post.

  1. Lindo e deprê pra mim pq meu aniversário está chegando e estou começando a lembrar da minha infância que foi há anos atrás uahauaha (inferno astral, me perdoe rs)

    Kisu!

    Curtir

    Responder

  2. Que texto lindo Manoel! Me fez relembrar a minha infância, não exatamente os mesmos episódios, mas boas lembranças. Parabéns!

    Curtir

    Responder

  3. “Era o menino e os bichinhos. Era o menino e o sol. O menino e o rio. Era o menino e as árvores.”
    Parece um sonho de tão belo!
    Muito obrigada pela viagem, Manoel (ambos!!!)
    🙂
    Abraço!

    Curtir

    Responder

  4. Muito bem escrito, que infância saudável, que imaginação, é a capacidade inocente da criança de tudo ser uma viagem, de dar vida a tudo em volta.
    É bom voltar lá atrás e lembrar a essência.
    Como disse a Áurea Cristina, ele expressou tão bem o universo dele pequeno que redesperta a nossa criança interior, automaticamente me lembrei de mim. Realmente… Me lembrei do que eu sou de verdade, antes de “crescer” e virar outra coisa, se é que dá para entender.
    Abraço.

    Curtir

    Responder

  5. Lindo texto… parabéns! =]

    Curtir

    Responder

  6. Adoro ler Manoel! Seu jeito simples e despojado de falar das coisas, e essa arte fantástica do neologismo, ah ele é maravilhoso! Só não sei se devemos considerar ou desconsiderar aquela sua famosa confissão… mas na verdade acho que não importa se é invenção ou mentira, o que importa é que ele “toca o coração das pessoas” Ana tinha razão. Gr. Bj. Manô!

    Curtir

    Responder

  7. Muito bom! Inspirador… deu vontade de buscar essa linguagem infantil cá dentro… e rever minhas estórias. Como diz Manoel de Barros, há histórias tão verdadeiras que às vezes parece que são inventadas..
    Abraço!

    Curtir

    Responder

  8. Posted by Marcilane on 16 de novembro de 2013 at 17:51

    Oww que lindo texto!! Reflete muito o que eu fui quando criança, principalmente esse trechinho do início “Eu tenho um ermo enorme dentro do olho. Por motivo do ermo não fui um menino peralta. Agora tenho saudade do que não fui. Acho que o que faço agora é o que não pude fazer na infância.” Fui uma criança solitária, brinquei mais sozinha do que acompanhada com outras crianças, conversava comigo mesma, criava minhas próprias histórias e fantasias. E hoje me pergunto: Por que não foi diferente? Por que não fui mais aventureira e aproveitei mais minha infância? Mas por outro lado, talvez tudo isso tenha servido para me ensinar algo.
    No mais, Manoel de Barros para mim é um grande mestre e com seus escritos, nos passa muitos ensinamentos.

    Abraços para o meu amigo Manoel Fernandes! Saudades 🙂

    Curtir

    Responder

    • Marcilane, você é sempre aquele amorzinho de pessoa. Gostoso ter você por aqui ^^.
      Eu achei legal esse depoimento do Manoel de Barros, mas na minha opinião a gente quando criança faz o que mais gosta. Uns são mais solitários e quietos e outros são super-sapecas e um terror. Eu acho que é uma fase tão boa da vida que vale tudo e tudo é muito lindo.
      Adorei a minha amiga de cabecinha boa por aqui.
      Um beijo muito especial

      Curtir

      Responder

  9. Muito bonita esta visão da criança no ser adulto. 🙂 Beijo

    Curtir

    Responder

MUITO BOM COMPARTILHAR COM VOCÊ !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Antes de Adormecer

Sobre amor e outras coisas

PANELA EUROPÉIA

O mundo numa panela só

Um Palco de Teatro

Poesias, Textos, Frases e Reflxões sobre o amor e a vida.

Sopa de Letras

Literatura, Cinema, Música, Educação e outros temas.

ESTRANHAMENTE

#poesia #crônica #fotografia

versaopaulo

cultura e história da cidade

Vida Legal

Porque a vida é muito mais interessante que a ficção.

imperfeitoparaiso

Aleatoriedades

Blog do Óbvio

Assuntos Diversos e Diversos Assuntos

Poesias e Cia - Ana de Lourdes Teixeira

Sem pretensões... O único desejo é compartilhar com as pessoas o que escrevo.

A DOSE DO DIA

O dia mais bem humorado da semana ;)

Realize Criatividade

por Patrícia de Azevedo

frascodememorias.wordpress.com/

“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Blog Caderno da Lua

#ApoioAutoresNacionais

Meio pão e um livro

Eu, se tivesse fome e estivesse à míngua na rua, não pediria um pão; pediria meio pão e um livro. (García Lorca)

O Outro Lado

Porque o melhor lado é o dentro

Abstract Art by Sharon Cummings

An artist with an irresistible urge to create!

Compasso Lento

Leia com passo lento...

Devir

O que vejo, sinto e imagino em letras.

Posso Dar Uma Dica?

Dicas para facilitar o dia a dia

essa tal de Alemanha

Crônicas do dia a dia

Letíciando

por Letícia Siller

Clau Assi, poesias.

Sonhos, realidades e poesias.

EscreViver

"O que é mais difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco" [Júlio Dantas]

It's a very deep sea

Um site sobre palavras

Divergências Vitais

Memórias, dicas e "causos" de uma brasileira vivendo na Alemanha.

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

Vida de Mil Fases

São fases da vida,elucubrações variadas. É um túnel do tempo, é uma realidade inventada.

Pensamentos In_Versos

No vício da escrita, encontram-se os ditos, os amantes, os gritos internos e todos os avessos...

Trotamundos

by Tati Sato

Simplesmente Lola

Eu e minhas aventuras

Bloco de notas

Escrever é como uma terapia, um socorro, uma esperança. Estando feliz, apaixonada, triste, decepcionada escrevo, pois sei que lendo-me consigo me entender. Escrever é como fugir para um mundo secreto, meu universo particular onde não é proibido sonhar.

Minha Vida Comigo

Um câncer foi o gatilho que me fez querer viver a vida como protagonista. Vânia Castanheira - Medical, Health & Wellness Coach - ACC/ICF

Catarina voltou a escrever,

com vírgulas, pontos e dúzias de reticências...

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

This German Life

um blog sobre nós dois (três) e a Alemanha

Diário de uma Teimosa

dicas de Estocolmo e da vida na Suécia

Eis a questão ...

Um blog realmente pessoal, que guarda um pouquinho de tudo aquilo que a autora gosta, faz, inventa, cozinha, desenha. Por isso, não precisa fazer sentido, não tem pretensões de seguir uma linha ou chegar a algum lugar específico: apenas existe para registrar, guardar e compartilhar um pouco dessas coisas de Olivia.

%d blogueiros gostam disto: